terça-feira, 27 de setembro de 2011

Vindo dos quatro pontos cardeais





Esperei o amor. Ou ele esteve aqui e não o percebi na sua estrutura abstrata, na sua leveza? Talvez não tenha percebido-o porque carrego a alma inquieta, o corpo com cicatrizes, o coração machucado? Porque o amor não veio? Ou ele esteve aqui com seus defeitos e suas loucuras manifestadas? Será que ele esteve aqui com sua mediocridade e sua incompreensão? Porque o amor pode nos deixar abalado. Desintegrado. Dilacerado. Aí tudo pode se perder, virar memórias, ou pode-se afogar, beber toda a fonte, seja ela de águas claras ou turvas, e, não matar sua sede.

Esperei o amor. Será que ele veio e não o tenha percebido naquelas tardes regadas à cervejas? Naqueles jantares com amigos? Nas manhãs nas praias? Num pôr-de-sol ao som de reggae? Numa das várias madrugadas nas quais perambulamos pela cidade? Talvez tenha esperado o amor como asas transparentes. Como uma lua cheia. Mãos de sedas. Retalhos coloridos. Tingido de arco-íris. Vindo dos quatro pontos cardeais. Das cosntelações. Num olhar escancarado de paixão, loucura ou lucidez...

Esperei o amor, porque esse sentimento tão volátil não veio? Ou ele esteve sempre aqui? Quais os sinais para percebê-lo?



(by, franck ////imagem: internet)

18 comentários:

  1. Você sabe, se não sabe vou dizer: sou sua fã.

    Inspirado e bem falado, parabéns!
    Bjos.

    ResponderExcluir
  2. O amor está em você meu amigo...
    Em seus versos, em seu anseio, em sua espera,
    quando perceber isso será pleno.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Saudades, Franck, de quando você escrevia assim! Percebo tuas fases e outro dia mesmo me vi pensando em você e me vi sentindo saudades daqueles textos, você sabe, dos que gosto. E eu ficarei sempre à espera. Agora, um.

    Quanto ao tema, a gente tem certeza quando encontra o amor, e isso acontece no primeiro instante do encontro, mas somos falíveis e os enganos, claro, podem surgir. E, num segundo instante, naquele em que a gente paga pra ver, a gente descobre o erro. Mas, isso importa? Nem um pouco. O que importa é a nossa capacidade de amar, de se doar.

    O importante é estar na colheita.

    Beijos,

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  4. Ah, o amor, esse sentimento duro tantas vezes...
    Eu também esperei por ele, mas acho que passou por mim, me desdenhou. Amei errado, talvez. Me amaram no momento incerto. Enfim, eu e o amor não temos nos dado muito bem, Franck!
    BeijO*
    Poupée Amélie
    http://poupeeamelie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. E quando você menos esperar ele chega, sem mandar recado, sem sinal e nem um telefonema.
    Chega e fica, e quando se hospeda, o dificil é mandar embora.


    Abraço meu !

    ResponderExcluir
  6. Ahhh o amor, a chegada por ele é ansiosa,
    nos enlouquece, nos faz parecer sozinhos
    e desesperados, e quando ele vem, nos surpreende, agente nem percebe porque ele não
    bate na porta, vem com tudo, avassalador!

    Amei o texto, muito lindo!!!!!!

    parabéns!!

    adoro aqui!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre quis saber como perceber um amor, porque quando eu o percebo não é recíproco. Me encanto numa facilidade, menino, de dar raiva. Coisa de escorpiano, ou coisa de mim mesmo - sacanagem por a culpa no signo que não fez nada, coitado.


    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. E num fechar de olhos discretos, você conhecerá o amor. Por que assim ele é. Sem avisos e sem esperas. Repentino.


    O amor sempre vem!

    Um beijo com amor. :D

    ResponderExcluir
  9. Acredito q ele passa mtas vzs, ainda q não seja na união de dois corpos...Mas em gestos sutis do dia-a-dia. Na capacidade de espanto, essa q docemente nos apresenta serenas coisas q nos acalmam, na condiçao de estar vivo...
    OU em ricas palavras q tbm encontramos aqui.

    bjo, Franck!
    =)

    ResponderExcluir
  10. O amor está aí... O engraçado dos dedos que apontam é que quase nunca eles apontam suas origens....

    Ameei o Blog! Voltarei, com certeza!

    Espero sua visita no Crônicas

    http://cronicasrapidas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Permita-me a pieguisse...
    O amor é feito por quem o procura, não está em lugar algum além de nós mesmos, não nos é ofertado e sim refletido, portanto não o espere, faça-o todo o tempo.

    Muito bom Poeta!!!

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  12. aH O AMOR...
    Ah Framk como é bom vir aqui e ler-te!
    Não se preocupe onde o amor esta, o que é nosso volta, ou nos encontra!
    bjosssssssssss

    ResponderExcluir
  13.             (¯`\ | /´¯)
         /)       (,_, °♥° ,_,)
    _¸.·´¯¯`·.¸__¸.-´.(_.^._)
            \)

    ResponderExcluir
  14. Bem-vindo e tenha um bom dia. Convido-vos ao meu novo blog sobre viagens e países; Beijos *. Caroline do polonês

    ResponderExcluir
  15. http://livearoundtheworld44.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Muito lindo o texto. Acho que ás vezes criamos uma defesa para não sentirmos mais dor que não percebemos o amor bem ali ao lado.
    Bjo no coração.

    ResponderExcluir

(Quem dá a volta ao zodíaco comigo...)

EU...

Minha foto
São Luís, MA, Brazil
Um brasileiro-nordestino, um cara comum, qlq um, como diria Caetano Veloso...