quarta-feira, 29 de junho de 2011





F E C H A D O


P A R A


B A L A N Ç O

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



VOLTO BREVE!!!









(by, franck /// imagem: couchsurfing)

terça-feira, 21 de junho de 2011

Uma carta (quase) anônima



Que você não seja aquele homem para consumo imediato e instantâneo, mas que seja aquele que a cada dia possa ser descoberto aos poucos em seus segredos, sua alma, seu corpo. Que tenha no olhar a certeza que também sou o homem que você procura.
Que você venha invadir minha vida de um jeito que nenhum homem fez ainda, como se fosse um cobertor nas noites de frio, um filme-comédia nas manhãs de tédio, um amigo em tardes de solidão; que preencha os dias e as noites com a sua presença, suas risadas e seu carinho.
Que você seja aquele amor à primeira vista, me apaixone no terceiro encontro, que seja o amor da minha vida com um mês de namoro. Que você não venha com desculpas com medo de dizer a verdade. Que prometa telefonar para desejar boa noite e não esqueça. Que almoços, fins de tarde na praia, encontro com amigos em comum, que qualquer coisa que façamos como acender incenso, velas, haxixe, tirar fotografias aos domingos, façam parte dos nossos dias, para que os momentos fiquem registrados, mesmo que sejam aqueles infinitesimal, para que fiquem na memória e em álbuns, para que eu possa acreditar que o amor e esse homem que é você, existe.

(by, franck //imagem: internet)

terça-feira, 14 de junho de 2011

Quem quer um coração? (II)




Esse coração meu. Teu. É um coração peculiar. Endêmico. O qual certas noites bate como um tambor-de-crioula. Um bumba-meu-boi. Uma matraca. Um pandeirão. Em outras, ele fica leve como o céu azul da cidade em certas manhãs. Uma tarde na praia. O lilás do açaí. Um sorvete de bacuri. Um arroz de cuxá. Mas ás vezes meu coração é praia lotada. Uma noitada com reggae. Um cacuriá. Um porre de catuaba. Um carnaval fora de época.

Tenho um coração regional, sim. Quente. Úmido. Pré-amazônico. De rios perenes. Reentrâncias. Revoada de guarás. Um manguezal. Dunas. Um delta. Uma ostra. Fauna e flora resistindo as queimadas, as enchentes, as caçadas. Um coração sobrevivente. Tropical, mas coberto de neve em certos dias. Com nome de santo, mas ateu.

Esse coração meu é uma rua de paralelépipedo. Festa do divino em Alcântara. Um casarão caindo aos pedaços. Um azulejo português antigo. Uma serpente encantada. Um navio ancorado. Uma ilha. Um continente. Todas as cores. Escuro. Uma igreja com influência bisantina. Ele é teu. Esse coração meu.



by, franck /// imagem: internet)

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Quem quer um coração? ( I)




Meu coração é um tambor africano. Uma batida de reggae. Um blues. Uma banda de rock. Uma balada brega.

Meu coração é lua cheia num céu de estrelas, numa noite de verão, com uma brisa suave, à beira-mar.

Meu coração é gótico. Pós-moderno. Punk. Barroco. Dark.

Meu coração tem sonos demorados e insônias insuportáveis, mas acorda de bom humor.

Meu coração é um sapo querendo ser príncipe, a espera do beijo que o transformará.

Meu coração é cumplicidade ao dividir o astral, o ritmo, a libido, a percepção da terra, do ar, do fogo, da água... Mas também é egoista, guardando segredos, habitando uma concha.

Meu coração tem fome, sede, crise, calor, frio; em algumas manhãs, no início da tarde e em certas madrugadas; nas quatro estações; com resquícios de Clarice Lispector e Caio Fernando Abreu.

Meu coração é um filme em branco e preto. Uma fábula. Caixa de Pândora. Ateu. Santo. Bobo. Um porão. Megalomaníaco. Um cão sarneto. Anjo. Demônio. Um deserto. Maldito. Bendito. Esse coração meu. Teu.





(by, franck /// imagem: internet)




sábado, 4 de junho de 2011

A vida não passa de uma série de truques estranhos...



A vida não passa de uma série de truques estranhos, por isso, vou ruir paredes da casa e dentro de mim; que as tardes agridoces cedam espaços para o desequílibrio. Que no cinza da minha paisagem, dos mergulhos em oceanos nublados, venham sol e barcos, máquinas de pinball em bares, tonéis de vinho em alguma vila.

A vida não passa de uma série de truques estranhos, por isso, quero dias de intemperança, não de aconchegos, monocromáticos; que os sete anéis de saturno girem a minha volta, que frutas aprodeçam, vire cimatarra, um janízaro, pastor de ovelhas sem cajado.

A vida não passa de uma série de truques estranhos, por isso, quero ser meu próprio mágico e ilusionista...



(by, franck //imagem: internet)

(Quem dá a volta ao zodíaco comigo...)

EU...

Minha foto
São Luís, MA, Brazil
Um brasileiro-nordestino, um cara comum, qlq um, como diria Caetano Veloso...