quinta-feira, 31 de março de 2011


quarta-feira, 23 de março de 2011

Turmalina


Foi num março que vi a turmalina que brilhava no seu dedo, antes de vê-la, moça, quando os raios do sol na tarde azul refletia a pedra na sua mão. Estava esperando você descer daquele navio, usava óculos escuros escondendo os olhos verdes de tanto mar e trazia na bagagem vestes amarelas, colares de miçangas e contas coloridas, poemas de um livro inacabado, perfumes que naquele outro março invadiu a casa, ficou entranhado pelos cantos de cada espaço mesmo quando partiu.
Partiste numa outra tarde, mas essa era cinzenta, não a levei ao aeroporto, mas vi seu avião cruzando o céu da cidade, enquanto uma pipa girava, girava e girava solitária e lágrimas caiam no meu rosto; disfarcei, disse que era chuva e tentei me esconder sob uma marquise, não queria testemunha ocular, queria você, queria aquele março, suas poesias, tardes no escuro do cinema, sua fosforecente turmalina, suas vestes amarelas, seu perfume pela casa... Deveria ter te sequestrado, como disse que faria, fugiríamos num trem para algum vilarejo à beira mar no qual eu aprenderia a pescar e você usaria tranças e aprenderia a tecer redes e usaria outras vestes.
A vida é um brinquedo difícil. O que restou após tantas e tantas cartas e nenhum encontro marcado? Não fui e nem sei se foste a Olinda, moça; melhor assim, não, minto, procurei você em flash de carnaval enquanto zapiava pelos canais da tevê nas noites insones e regadas a caipiroscas de kiwi, líquido verde como os olhos que gostava de esconder naqueles óculos. Ainda usa aqueles óculos escuros? Veste amarelo? O mesmo perfume? Perdi você. Nós perdemos. Tenho perdido fios de cabelo, lembranças, vontade, vergonha... Só não perco sua lembrança e aquela turmalina na sua mão, reluzindo como um caleidoscópio, naquela tarde azul de um outro março.


(by, franck)
(imagem: olhares.com)

segunda-feira, 14 de março de 2011

sábado, 12 de março de 2011

Se brilha mais no escuro?


Recebi seu toque. O que pode haver de maior ou menor que um toque? Aí tenho vontade de voltar à Sampa, rever você, rever pessoas e lugares e ir aos cinemas e teatros e shows... Porque essa cidade, como disse Caetano 'é como o mundo todo'... E você me pergunta pelo meu coração. Estou transpirando amor. Estou transpirando tesão e acabo deixando tudo isso numa toalha de banho qualquer. Minha terapeuta, a Cecília, diz que idealizo alguém, que uma pessoa como quero não existe, será? Não quero muito, não peço muito. Quero uma paixão com sabor de verdade, que toque fundo, alguém para ser conduzido com cuidado, jeito e carinho para uma viagem pelo mundo, praias, ruas, auto-estradas, matas, escadas, salas, cozinha, quartos, lençóis, fronhas, travesseiros, tapetes, banheiros, piscina, sonhos... Como sou libriano tento não me deixar vencer, galopo em sonhos, galopo na minha própria emoção cotidiana...
A solidão pode ser eterna, mas não precisa ser constante... Mesmo com essa geografia louca nos separando, temos um ao outro e pode ser que... não tenho nenhuma perspectiva para... amanhã quem sabe?... Numa praia. Num shooping. Sempre existe a tal esperança. Queria tanto te encontrar e falar de coisas vãs. As amizades estão defasadas, degastadas, como se fossem um instrumento musical que rompeu algumas cordas. Quem sabe a chuva não passe, quem sabe não passa um avião jogando flores tipo anos setenta? Aí voltarei a natação, ao pilates, a ioga, narcisismo ascendente, IN CORPORE SANTO, enfim, como o Papa gostaria, ou gostará? Viva esta Terra, onde plantando tudo dá, até hipocrisia. O oitavo pecado é o aconchego? Quero aconchego de corpos, porque minha casa está tão aconchegante, é sábado, chove, e, conheci um moço numa tarde cinza e triste, nos deixamos da mesma maneira que nos encontramos, apenas que foi numa tarde de sol e barulhenta... Esperarei... Esperaremos... Minha sensibilidade à flor da pele... 'Chorando ao telefone'... Comendo chocolate para curar as amarguras... Sentindo saudades dos nossos papos no escuro do quarto... Se brilha mais no escuro?


(by, franck)
(imagem: olhares.com)

sábado, 5 de março de 2011


É carnaval!
Tive um surto de agorafobia!


(by, franck)
(imagem: olhares.com)

terça-feira, 1 de março de 2011


Hoje recebi o livro que estou lançando e quero compartilhar com vocês a minha alegria e a emoção de tê-lo nas mãos e poder tocar, sentir o cheiro, olhar... Agradeço a todos vocês que de alguma forma contribuiram direta ou indiretamente para que o mesmo acontecesse. E quem estiver interessado(a) em adquirir o nosso 'Fogo-Fátuo', entre em contato pelo email: franck015@yahoo.com.br, ok? Obrigado, sempre!

(Quem dá a volta ao zodíaco comigo...)

EU...

Minha foto
São Luís, MA, Brazil
Um brasileiro-nordestino, um cara comum, qlq um, como diria Caetano Veloso...