quarta-feira, 23 de março de 2011

Turmalina


Foi num março que vi a turmalina que brilhava no seu dedo, antes de vê-la, moça, quando os raios do sol na tarde azul refletia a pedra na sua mão. Estava esperando você descer daquele navio, usava óculos escuros escondendo os olhos verdes de tanto mar e trazia na bagagem vestes amarelas, colares de miçangas e contas coloridas, poemas de um livro inacabado, perfumes que naquele outro março invadiu a casa, ficou entranhado pelos cantos de cada espaço mesmo quando partiu.
Partiste numa outra tarde, mas essa era cinzenta, não a levei ao aeroporto, mas vi seu avião cruzando o céu da cidade, enquanto uma pipa girava, girava e girava solitária e lágrimas caiam no meu rosto; disfarcei, disse que era chuva e tentei me esconder sob uma marquise, não queria testemunha ocular, queria você, queria aquele março, suas poesias, tardes no escuro do cinema, sua fosforecente turmalina, suas vestes amarelas, seu perfume pela casa... Deveria ter te sequestrado, como disse que faria, fugiríamos num trem para algum vilarejo à beira mar no qual eu aprenderia a pescar e você usaria tranças e aprenderia a tecer redes e usaria outras vestes.
A vida é um brinquedo difícil. O que restou após tantas e tantas cartas e nenhum encontro marcado? Não fui e nem sei se foste a Olinda, moça; melhor assim, não, minto, procurei você em flash de carnaval enquanto zapiava pelos canais da tevê nas noites insones e regadas a caipiroscas de kiwi, líquido verde como os olhos que gostava de esconder naqueles óculos. Ainda usa aqueles óculos escuros? Veste amarelo? O mesmo perfume? Perdi você. Nós perdemos. Tenho perdido fios de cabelo, lembranças, vontade, vergonha... Só não perco sua lembrança e aquela turmalina na sua mão, reluzindo como um caleidoscópio, naquela tarde azul de um outro março.


(by, franck)
(imagem: olhares.com)

40 comentários:

  1. Franck!

    Gosto tanto quando você escreve assim... leva-me na leitura, fala de uma vez só, parece não haver um ponto, uma vírgula sequer. O mesmo que uma saída do corpo, provisória, prazerosa, um passeio para outro lugar.

    Um abraço,

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  2. Outro março virá e a lembrança ainda permanecerá, afinal qdo o amor é verdadeiro fica para sempre gravado nos arquivos mentais!!!
    Bj frank

    ResponderExcluir
  3. Franck,


    O azul flui do teu texto, talvez porque saibas tingir de cores a tua bela escrita!

    Um abraço, Marluce

    ResponderExcluir
  4. Que intenso, Franck.

    Estava com uma saudade danada dos teus textos. De toda doçura e saudosismo que têm e expressam tuas palavras.

    Um abraço literal,
    Camila

    ResponderExcluir
  5. Lindo, Franck!Incrivel essas lembranças em um outro março ela virá e ainda te fará muito feliz...
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. E a memória...ahhh, o que a gente guarda nela.

    Que tudo se repita Franck.

    Meu amigo, tempo escasso, cansaço, mas não poderia deixar de passar aqui.

    Um beijoooo!

    ResponderExcluir
  7. ...e que venham muitas turmalinas,
    em muitos marços.

    assim teremos razões para nos
    emocionar na tua sensibilidade
    ímpar!

    beijokas, amore!

    ResponderExcluir
  8. Pois é, Frank, enquanto os cabelos caem, as lembranças nos perseguem. Lúcido texto. Abraços

    ResponderExcluir
  9. Lembranças assim sempre fazem nosso coração pulsar mais forte, seja em marco, abril... coincidências onde as cores flutuam… sem que tenham mudado de lugar!...

    Lindo texto!

    ResponderExcluir
  10. Assim como a Lily, também gosto quando você escreve assim.
    Muito bom te ler Franck!

    Bom dia, um abraço!

    ResponderExcluir
  11. Sim, a vida é um brinquedo do tipo quebra-cabeça. As vzs as peças se encaixam de um jeito!...(+ nem sempre).
    E as lembranças preciosas...Ah! Essas ficam latentes "forever".

    bj, Franck!
    =)

    ResponderExcluir
  12. Que lindo, Franck! Triste, embora lindo.
    Pra mim, a partida e a lembrança têm-se tornado sinônimos do Amor, ou então a consequência.
    Se entedi bem, a bela moça estava comprometida, certo? Passo pelo mesmo agora, Franck! Até me arrepio, que coisa!!
    Mas nada muito sério, apenas um flerte meu que parece que encontrou outro alguém. Às vezes prefiro encarar que fora melhor assim, talvez ele não tenha de ser meu. Mas é são frio pensar assim, não? Acreditar que tudo está escrito, que nem ao menos EU tenho poder sobre o MEU destino.
    Poderia eu ter arriscado? Poderia eu ter feito algo? Seu eu-lírico talvez seja eu, não sei. Me vi tanto no texto!
    Os dias que imaginei que viveria e não tive oportunidade, o perfume que não senti, o anel que talvez um dia eu veja. Vai doer.
    Espero que o tempo seja bom comigo, e leve embora - feito como aconteceu com o anterior - este sentimento que me aflige.

    Ai, Franck! Tão doce lê-lo, sinceramente, noto que a dia que passa, escreves melhor ainda, escreves cada vez mais! E desejo ainda mais criatividade à você!

    Obrigada por seu carinho pelo meu cantinho, suas palavras. E aproveito para pedir desculpas pela minha ausência. Sou vestibulanda este ano, e estudar 24h tem sido pouco.
    Tudo na vida tem volta, e espero que assim seja, e meus sonhos sejam conquistados.

    Um beijo doce, Franck.
    Ótimo finzinho de semana a ti.
    Fica aqui minha saudade.

    ResponderExcluir
  13. Numa tarde de um outro tempo... num tempo de uma tarde qualquer. Linda retrospectiva trazida pela memória!
    Bjo, querido.

    ResponderExcluir
  14. Sim, eu estava em Olinda! rsrs delícia de ler, franck!!! bjs

    ResponderExcluir
  15. Nunca é fácil deixar que o outro se vá, que a saudade aperte e que a distância aumente. Serve só pra doer e amar e doer de novo e assim pro resto da vida, ou até o próximo encontro.


    Lindo demais, como tudo que você escreve.
    Um beijo em você.

    ResponderExcluir
  16. olá meu querido amigo, que saudade ja estava deste espaço, acho que agora posso dizer que este inverno tecnológico está chegando ao fim. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  17. Me encantei com suas palavras. Parabéns e muito sucesso!
    Bjos.

    ResponderExcluir
  18. Lembranças... que vem e vão... e ficam! para sempre guardadas...

    ¬
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  19. "A vida é um brinquedo difícil." Nada que esse azul de Março adicionado ao amarelo alegre das roupas que ela vestia, não possa melhorar. Que a gente saiba brincar com a vida.
    Bela imagem e texto, Franck!

    ResponderExcluir
  20. Muito obrigado por seus comentários agradável;)) Eu amo essas pessoas amáveis ​​e maravilhosas como você .. Muito obrigado !!!!! Espero que um dia vamos nos encontrar em um caminho muito longo fora localizado Brasília; **

    ResponderExcluir
  21. Ei Frank!
    Ás vezes as pessoas se perdem, ficam apenas lembranças.... Ótima conto!
    Gd beijo

    ResponderExcluir
  22. Oi Frank,
    Vouvirar fregues. Visitar esse seu minifúndio. Tem pedras preciosas.
    Abração!
    Berzé

    ResponderExcluir
  23. Franck, amigo querido


    Mais uma linda viagem este seu texto ...

    Ontem recebi seu livro , ficou lindo !
    Sua imagem na contra capa , super bonita.
    Não vejo a hora de começar a devora-lo , ...
    :)
    Obrigada pelo carinho da dedicatória.


    Bjo Grande !

    ResponderExcluir
  24. Olá menino
    Certas lembranças nunca se apagam de nossa mente. São como eternas tatuagens.
    Bjão

    ResponderExcluir
  25. Olá, Franck, tudo bem?
    Suas prosas poéticas são sempre tão bem escritas e profundas!

    ResponderExcluir
  26. Passa lá no meu blog. Se gostar, me siga.
    Adorei tudo aqui. Muito supimpa, sensacional, aconchegante seu site. Deu vontade de ficar, lendo e relendo tudo. Muito bom, mesmo!
    Hiper abraço.
    Já estou te seguindo.

    ResponderExcluir
  27. Querido escritor, há um Meme Literário para ti no meu blog Lectando-me. Gostaria muito que participasse desta brincadeira e adentrasse neste universo repleto de autobiografia. Saiba que sempre será bem-vindo em meu espaço sideral. Abraço fraterno, Jasanf.

    ResponderExcluir
  28. Boa noite.
    Seu poema é lindo e triste. Mostra um vazio no peito.

    Um abraço.
    Maria Auxiliadora (Amapola)

    Estou lhe seguindo.

    ResponderExcluir
  29. Turmalinas são (ou podem ser) pedras maravilhosas!

    Sou colecionador de pedras...

    Saudações poéticas

    ResponderExcluir
  30. Turmalinando por essas cores esqueço do que se passa em volta.
    Doida para ler em mãos essas preciosas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Ai que lindo,gostei demais!perfeito
    É tão doloroso quando nos perdemos de alguém :(mas o bom é que a lembrança sempre nos persegue e não deixa a pessoa se perder da nossa memória
    Estou tão feliz por vc,tão feliz porque vc vai lançar um livr,que alegria!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Parabéns ;)

    ResponderExcluir
  32.  ❤❤
     ❤    ❤
    ❤      ❤❤ ❤
    ❤       ❤   ❤
     ❤           ❤`
       ❤        ❤`
         ❤    ❤ ❤❤
          ❤ ❤ ❤    ❤
           ❤ ❤      ❤❤ ❤
             ❤       ❤   ❤
              ❤           ❤
                ❤        ❤
                  ❤    ❤
                    ❤ ❤
                     ❤

    Karolina ; ))

    ResponderExcluir
  33. É engraçado como o acaso, que acredito não existir, prega peças o tempo todo. Andei, andei, andei e cheguei até aqui. E eis que me surpreendo ao ler o nome do seu livro um dia após de conhecer o significado de fogo-fátuo.

    Bom, gostei daqui, viu! Voltarei.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  34. Deliciosas lembranças...Lindo! abraços,chica

    ResponderExcluir
  35. Belo texto!
    Obrigado por seguir meu Mundo Suspenso. Aquele conto da Lutécia, quem dera desse um livro (é um sonho que tenho), mas você sabe como é difícil editar. Se conhecer alguma editora capaz de tornar esse meu sonho realidade ficarei grato. Um abraço.

    ResponderExcluir
  36. Oi Frank, passando para ver as novidades...

    #Beijinhos e boa noite

    ResponderExcluir
  37. Oi Franck... amei o seu livro.
    Li de uma só vez, reli alguns trechos que me lembrava, me maravilhei com outros que não conhecia...bebi em grandes goles de sua escrita agridoce. Adorei ver o texto que escreveu para mim, lá, impresso. Parabéns, você é um escritor apaixonante. Beijos

    ResponderExcluir
  38. Ah Franck que bonito !
    que bonito , como gosto desse estilo de falar ternuras !
    não podemos "perder lembranças" ...

    deixo abraço

    ResponderExcluir
  39. Olá, Franck
    Bonita a forma de escrever sua lembrança brilhante... e com muita emoção envolta em saudade...
    Abraços fraternos de paz

    ResponderExcluir

(Quem dá a volta ao zodíaco comigo...)

EU...

Minha foto
São Luís, MA, Brazil
Um brasileiro-nordestino, um cara comum, qlq um, como diria Caetano Veloso...