segunda-feira, 13 de setembro de 2010

"A solidão é um luxo"... Clarice Lispector


Escrevo de um lugar muito profundo, de uma parte qualquer do meu cosmo - ele é tão amplo - sob uma sombra pacífica e serena: minha solidão. Há pessoas que nascem para serem solitárias, de uma solidão inatingível, inenarrável; pois bem, sou uma delas. Estou encerrado, mais do que ninguém - pois ninguém conheço - dentro do meu ser, dentro de mim. E esta angústia, esta ansiedade constante e solidária ao meu isolamento, aos poucos, quase sem que eu percebesse, metamorfoseou-se - a mágica da vida - numa serenidade impressionante, silênciosa. Eu, que, quando me via na perspectiva deste isolamento, ou até quando me via inserido nele, angustiado, buscava, de alguma forma, fugir a ele, hoje me vejo sob sua sombra. Não torturado, nem feliz: sereno, com uma serenidade que nunca me pertenceu e que sequer me pertence. É meramente ilusória: dentro de minha grandeza, uma fúria enorme, magnífica, minha propriedade de há muito; essa fúria, ela de mim apodera-se e põe-me à sua disposição. Ambiciosa. Irrefletida. Genial. Borbulho como em ebulição. Fervo. Consumo-me em minhas cinzas, valem muito mais que eu mesmo. Ou talvez deva dizer que são eu mesmo. Sem elas, sou um ser inútil. Ou melhor: não sou. É difícil, essa convivência. Observo a mesquinhez que há por aí e me espanto. Indgno. Conformo. Ou não. Nietzche disse que o homem é uma corda esticada ligando o animal ao sobre-humano. Uma corda sobre um abismo. Pois bem: eis-me, uma corda que não se satisfez em ficar estacionada sobre este; vibro em busca não deste sobre-humano - um passo além do humano, um horizonte tolo e inatingível por inexistente e móvel - mas sim deste abismo. Ah, esta fantástica e iminente sensação de queda, a impressão de que a qualquer instante, irei espatifar-me no profundo deste fundo; esta é a única maneira de que eu possa, ou melhor, que permite estabelecer uma relação, um intercâmbio entre mim e esse mundo - tão pequenino - que me rodeia. Ou melhor: não tão pequenino assim! Quanto ao resto, de certa forma, pouco importa. O essêncial, eu o disse. Parte do essêncial, talvez. O essêncial deste momento...


(by, franck)

26 comentários:

  1. Franck,


    Ah, a solidão, vivo tão cercada dela, mesmo na multidão ela é minha companheira, irmã. ...às vezes anda a passos largos, mas ela apressa os seus e acompanha-me!


    São belos seus textos poemas!


    Um abraço, Marluce

    ResponderExcluir
  2. Creio que ninguém nasce para a solidão, penas algumas pessoas aprendem a conviver com ela de forma menos sofrida.
    Bjux

    ResponderExcluir
  3. É...não sei...
    o que Clarice ou Nietz
    ou outro poetas escritor ou filosofo nos diz esta dentro do contexto de cada um.
    Clarice mulhersolitaria em profusão de letras e pensamentos impregnados de uma psicologia farta.
    Nietz homem solitarios de conhecimento farto,de intelecto
    quase infinito e de ideias quase inalcansaveis.
    Cada um devidamente ligado ao mundo por seus escritos,ligados a nós palavras.
    Mas nós aind anão podemos nos isolar,
    porque na verdade dura e crua,ninguem sente
    ou sentirá falta de nõs ainda.
    Nos falta o legado que nos afasta da definição: ilhas ou lagos?
    resta-nos refletir sobre a diferença.
    Eles certamente tornaram-se ilhas...
    e nós?
    Bjins

    ResponderExcluir
  4. Ás vezes é preciso entrar dentro da gente pra aprender a viver, mas só por um tempo, não pra sempre... Beeejo,beeejo.

    ResponderExcluir
  5. Franck , aqui ,te lendo , me veio isto ao pensamento ...

    "Uma única coisa é necessária: a solidão. A grande solidão interior. Ir dentro de si e não encontrar ninguém durante horas, é a isso que é preciso chegar. Estar só, como a criança está só."

    Rainer Rilke


    Creio que é necessário saber-se estar consigo mesmo , sem medo do que encontrar . Porq acredito que é lá , bem dentro de nós , que encontramos a mola mestra que nos levará pro alto , pra cima de tudo , até de nós mesmos.

    Deixo meu BjO carinhoso e agradeço , mesmo
    na correria do seu dia , ter tido um cadinho de tempo pra me visitar ...

    ResponderExcluir
  6. ...Eu curto meus momentos de solidão!
    São momentos que classifico como único e entro em contato com minha luz e meu eu mais puro, momentos de verdade e serenidade.
    Se esse for o seu momento, desejo que se encontre, que saiba aproveitar essa oportunidade!
    Bj

    ResponderExcluir
  7. Franck,

    E falamos de solidão ontem né?

    Solidão é um estado. Bom ou não!
    Muitas pessoas,não sabendo lidar com ela, se penduram como cabides nos outros.
    Antes mal acompanhada do que só. Isso é terrivel.
    Outras pessoas, encontram na solidão o aconchego.
    Me pergunto que bicho peçonhento é esse, para algumas pessoas?
    Solidão é a coisa mais natural do mundo.
    Eu amoooooooo meus momentos de solidão, aliás eu PRECISO DELES.
    Na cabeça de quem sabe o que é, é algo que jamais assusta.


    Meu beijooooooo!

    Você é um amadooooo!

    ResponderExcluir
  8. A solidão as vezes é amarga... Mas as vezes
    ela é fonte de inspiração e até mesmo de
    reflexão... Amigo, amei esse texto! Obrigada
    por compartilhar! Carinhos meus a ti...
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. To vivendo com ela...a solidão.
    as vezes é ruim...mas, na maior parte das vezes gosto.

    abraços

    ResponderExcluir
  10. Franck,

    Esse fogo interno, intenso, é o que fará entrar em ebulição tudo que se encontra no caldeirão da existência. Dele brotará um elixir que fortalecerá o espírito, acalmará a angustia e fará ressurgir ileso, forte, sereno, desta solidão que o consome, o ator, verdadeiro protagonista de sua existência.

    Excelente texto.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  11. |Sem a solidão, não conseguimos nos conhecer.

    Bjs meus !

    ResponderExcluir
  12. Isolar-se é bom, mas não por muito tempo. E dizem que isso é uma caracteristica masculina, não sei, me isolo também nas minhas profundezas.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  13. Se a solidão é um luxo, eu prefiro o lixo...rs
    Odeio a solidão. Ela me mata.

    Texto perfeito e bela imagem Franck.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pelo blog!
    Muito bom!
    Já estou a te seguir!
    =)
    Abraços
    Ótima semana!

    ResponderExcluir
  15. ...solidão...NÃO!

    solitude...SIM

    SEMPRE...

    solitude, esta companheira silenciosa,
    branda, vital, necessária e essencial,
    a única que nos ajuda a ouvir a voz
    SUPERIOR!

    nascemos sós e morreremos sós,
    independente do mundo ao nosso
    redor.

    não há como mudar isso.

    bj, moço de palavras profundas!

    ResponderExcluir
  16. "Agosto passou... virás com a primavera"! Adorei a imagem poética!!! rs Eu fico feliz por não deixares de vir aqui no meu cantinho! Ultimamente o tempo tem me afastado do blogger, mas nunca perderei os laços que nos unem por aqui! Logo estarei com uma nova postagem!
    A solidão... belíssimo texto de Clarice! Todos nós, de alguma forma, carregamos uma solidão dentro de nós... não aquela de está só, mas, a de muitas vzs estar acompanhado, numa multidão, e ainda sentir que nos falta algo, ou, como diria Pessoa: a sensação que nos falta nós mesmos... Abraço, meu amigo!

    ResponderExcluir
  17. Adorei o novo nome (signo) do blog! rs

    ResponderExcluir
  18. Franck,

    Eu li uma definição de solidão, que de todas é a que mais se apróxima do meu sentimento.
    "Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma"
    Do meu amadão Chico Buarque.

    De resto, essa grande revolução que nos toma é tão somente, o medo da morte, de acabarmos, de não sermos mais pra ninguém e nem pra nada.

    Definitivamente, não posso deixar de vir aqui.
    Amo, amo, amo!
    Bjocas

    ResponderExcluir
  19. todos somos solidão. só acho que a diferença é que alguns conseguem aprender a lidar com ela, outros só sabem esconde-la melhor...

    ResponderExcluir
  20. A minha solidão me faz perecer.
    Eu a amo e a odeio por isso.

    ResponderExcluir
  21. E ficamos assim, nessa corda... tento sair do lado animal, esse texto ajudou muito, obrigado, adoro passar por aqui, bjao!

    ResponderExcluir
  22. Obrigada pela visita.
    Seu Blog é um show!
    E vi no seu perfil, que vc curte Zeca Baleiro.
    Aí então, meu amigo, vc e eu estamos na mesma sintonia.
    Abraço

    ResponderExcluir
  23. a solidão: esse estar consigo mesmo.
    Não pode MESMO sem inquieta! Isso é mergulhar no próprio eu! E ter uma infinidade do que conhecer!
    adorei, como sempre frank .

    =]

    ResponderExcluir
  24. achei maravilhoso,eu não me sinto mais tão só assim ,sabe porque?tenho vcs por companhia,é como é lindo passear aqui e ler coisas assim divinas,adorei.

    ResponderExcluir
  25. a solidão.

    durante e após da leitura do gabriel garcía márquez sobre os cem anos desta danada, tenho me colocado muito a refletir sobre ela.

    concluí então que a solidão é como o poder simbólico de que bourdieu falava, está em toda parte e, ao mesmo tempo, em parte alguma.

    que tua solidão dure o tempo que precisar durar, para refletir, para se conhecer. que seu lado positivo seja vivido plenamente, mas que ela não seja, necessariamente, o isolar-se do mundo, das outras pessoas, de onde também vive o conhecimento, os sentimentos, a vida.

    belo texto, franck. um abraço,

    ResponderExcluir

(Quem dá a volta ao zodíaco comigo...)

Previsões dadas...

EU...

Minha foto
São Luís, MA, Brazil
Um brasileiro-nordestino, um cara comum, qlq um, como diria Caetano Veloso...