quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Uma história quase amarela





("De tarde um velho tocará sua flauta para inverter os ocasos" -Manoel de Barros)



Gosto dessa cidade porque tudo nela me faz lembrar você: o céu sempre azul, o mar dourado num fim de tarde, as ruas estreitas de paralelépipedos; mas queria a Holanda e seus moinhos, os girassóis, viajar com você por paisagens desconhecidas, atravessar rios e montanhas, sem saber onde estaríamos ao cair da noite. Tenho o vazio das tardes, todas elas. O coração em brasa. Talvez com um futuro sem história, como um rosto que passa num ônibus, parecendo querer exprimir algo,mas que a gente vê uma vez e acaba desaparecendo para sempre. Tomo vinho, como se ele fosse me prometer música, poesia e você. As pessoas perguntam por você. E você me diria que vinho me deixa deprimido. Quero de novo aquela coisa bonita que deixa pasmo o olho e o coração. Suas plantas ainda vicejam na varanda, rego-as todas as noites, gosto desses gostos adquiridos, são sempre melhores. Não quero essas tardes sozinho sem presente e futuro, quero você, de volta, num canto do meu coração e da memória, impecável, e, eu duvidando dessa verdade. Gosto dessa cidade porque tudo nela me faz lembrar você, mas quero você dentro dela. Dessas tardes. Quero um tempo demasiadamente perfeito, como antes, com passado, presente e futuro. Com nossos pontos fracos. Nossas mágoas. Nossos jogos de sedução...


(by, Franck)

27 comentários:

  1. O coração em brasa..."Tomo vinho, como se ele fosse me prometer música, poesia e você". Eu sempre faço isso!
    Nem sempre dá certo! E alguém sempre me diz: Vinho te deprime!

    Quero um tempo demasiadamente perfeito...como antes...

    Frank... será que isso é possível? Quando nos perdemos de alguém...?

    Beijos da Sil.
    Sempre aqui.

    ResponderExcluir
  2. Franck,

    Tardes sem presente e futuro... assim é a falta de alguém.
    Lindo texto.
    Bjinho

    ResponderExcluir
  3. Quanta solidão em meio a tanta beleza...
    Horas lentas, ainda que passageiras.
    Existe afeto em quase tudo.
    Bom dia meu amigo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. "Quero de novo aquela coisa bonita que deixa pasmo o olho e o coração."

    Eu quero e como quero !

    Lindo , Lindo , Lindo ...
    Sem mais nada a dizer , Franck .


    BjO.

    ResponderExcluir
  5. Tenho saudade de um tempo demasiadamente perfeito que nunca tive rsrsr e se acaba,é demasiadamente pereito?
    Comigo, os vinhos costumam prometer poesia rs...

    bjo

    ResponderExcluir
  6. O gozo do conhecido..
    a busca do inesperado...

    abço

    ResponderExcluir
  7. Somos tão fracos, vulneráveis a esses momentos...
    De querer o que já foi... !
    :/

    ResponderExcluir
  8. Que final perfeito... Lindo, lindo!
    Você falou de tardes, é eu também sinto falta de certas tardes, mas é tarde demais pra tudo e é a hora exata para nada. Infelizmente ou felizmente.
    Querido... Como sempre adorei, parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Um tempo demasiadamente perfeito é o que espero para voce e seu vinho.
    ...E sempre achei que vinho coroa com dor, charme e nostálgico uma fossa.

    Abraços, meu querido!
    Mônica

    ResponderExcluir
  10. Franck, lindo seu texto querido!

    Mas hoje nem vou dizer nada, pois a Sara acima disse por mim.

    É bem assim...

    Meu beijooooooooooooo procê!!

    ResponderExcluir
  11. Que todos os seus momentos sejam SEMPRE demasiadamente perfeitos!
    Lindo demais!
    bjosssssss

    ResponderExcluir
  12. Com todos os nossos defeitos e qualidades, porém juntos. Assim a vida fica bem melhor.
    Bjux

    ResponderExcluir
  13. .

    Estou aqui, querido Franck.
    Sempre contigo, não há motivos para preocupação.

    Suas palavras sempre falam direto ao coração. Que lindo texto!

    "Não quero essas tardes sozinho sem presente e futuro, quero você, de volta..."

    Você entende bem do amor e do vazio deixado pela falta que ele faz.

    Também do Manoel de Barros (que amo!):

    "Ando muito completo de vazios."


    Que esses vazios sejam preenchidos.

    Muito amor!

    Te beijo

    .
    .

    ResponderExcluir
  14. ...como sempre


    MARAVILHOSO!

    Bj, querido!


    ah
    a música lá em casa é:

    George Zamfir_Birds

    ResponderExcluir
  15. Frank, você é um poeta nato, gosto demais dos seus textos, conseguem me levar a um tempo saudoso, de um romance ingênuo, enfim um tempo lindo que ficou nas palavras de ontem e de hoje nessas palavras.
    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Franck que delícia de texto!
    Fiquei aqui construindo as imagens... o céu, o mar, a rua e até a Holanda sabe?! E é claro, sentindo a saudade que essas imagens/lembranças provocam...
    Fiquei aqui imaginando os rostos que vemos passar no ônibus uma vez e acabam desaparecendo para sempre...
    Achei lindo!
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  17. A minha , já tão de tão aguçada, pede uma dose de amnésia ...
    BjO.

    ResponderExcluir
  18. Amado poeta!
    Maravilhoso ler os fragmentos da sua alma!
    gd beijo

    ResponderExcluir
  19. Oi Frank, como vai você?
    na verdade sou de Virgem, comemoro no dia 6 :)
    um beijo !

    ResponderExcluir
  20. Franck sempre Franck! Romantico, detalhista, inteligente, viajador =) Adoro isso rsrs. Beijao querido

    ResponderExcluir
  21. Franck, que coisa mais linda. Dizem que só os pássaros engaiolados é que cantam bonito. Mas hoje você cantou e encantou com seu texto.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  22. Ufa! Simples-"mente" e complexa-"mente" Franck!
    Quando leio os teus post, fico me perguntando quanta poesia pode um ser, expressar em um único sentimento?
    Extremamente inspirador, por alguns instantes sai da nossa orbita terrestre!
    Muito obrigado por existir e escrever coisas tão relevantes!

    ResponderExcluir
  23. Achei tão bonito seu texto, e tão singular.. deu uma saudade gostosa de tempos passados! Principalmente na parte que diz "as pessoas me perguntam sobre você", acho que porque é uma coisa real e que nunca vi retratada em um texto (por incrível que pareça!).
    Vejo que seu blog tá cada dia mais cheio de leitores ávidos (o que é ótimo), e seus posts andam com uma originalidade incrível. Fico mesmo feliz por você!
    Quanto a mim, ando meio sumida mesmo, e peço perdão por às vezes mal responder cmentários de pessoas tão queridas quanto vocÊ. Ando achando meus posts meio batidos, e acho que isso me desanimou a escrever. Mas agradeço de coração teu apoio, que sempre dá uma espiadinha em meus textos novos (que andam raríssimos). Desejo muita inspiração e good vibes para nós dois: e que vocÊ sinta daí as coisas boas que te envio!
    Obrigada, e prometo aparecer mais vezes e tentar escrever mais!

    Um beijo, e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  24. Olá meu querido amigo, te espero no meu blog, tem um carinho lá para ti. Abraços.

    ResponderExcluir
  25. Um texto perfeito. A alma anseia pela eternidade dos sentimentos e o corpo, alheio à sua condição mortal, anseia pela eternidade das sensações. Teus textos eu não leio... eu os sinto e vivo como se fossem minhas as lembranças... acho que é assim por um condão próprio do teu texto e acho que todos os teus leitores também o sentem assim...
    Beijokas, Franck...

    ResponderExcluir

(Quem dá a volta ao zodíaco comigo...)

Previsões dadas...

EU...

Minha foto
São Luís, MA, Brazil
Um brasileiro-nordestino, um cara comum, qlq um, como diria Caetano Veloso...