quinta-feira, 29 de julho de 2010

Sem título


No meio dessa cidade
vi gente odiando gente
gente matando gente
gente pisando em gente.
Eu vi muito mal
ódio
falsidade.
Mas eu passei por tudo
pulei as mágoas e os desamores
me encontrei num outro estado
num estado sólido de amor e paixão.

(by, franck)

21 comentários:

  1. Querido deixo aqui um pouco do saio que amo e observo.Amanhã volto inteira...
    Te amo.
    "Quando o amor acenar,
    siga-o ainda que por caminhos
    ásperos e íngremes.
    Debulha-o até deixá-lo nu.
    Transforma-o,
    livrando-o de sua palha.
    Tritura-o,
    até torná-lo branco.
    Amassa-o,
    até deixá-lo macio;
    e,então,submete ao fogo
    para que se transforma em pão
    para alimentar o corpo e o coração!"
    Khalil Gibran

    ResponderExcluir
  2. Franck, eu também vi tudoooo isso.

    Também me encontrei nesse estado sólido de amor e paixão.

    Gracias a la vida (E a Suzana), por ter conhecido uma pessoa tão bacana como você!

    Um abraço grande!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Franck, na verdade ando sem vontade de escrever, ando mais pelo diHITT, a rede social, daí a minha sumida básica. Ás vezes faço isso, é por conta da minha inquietação ariana, hahaha.
    Adorei ler os versos de hoje, e sobre o estado sólido de amor... acho que é esse mesmo o ponto.

    Beijos pra ti!

    ResponderExcluir
  4. É o que a gente mais precisa fazer. Deixar essa secura do mundo pra trás e espalhar amor para essa gente seca de coração.

    uma beleza seu texto.
    abraços

    ResponderExcluir
  5. "Procuro-te escalando escombros de uma cidade em ruínas, e é tudo tão cinza, há um abismo em cada olhar."

    Nessa parte aí do seu texto, eu me engasguei. A cidade em escombros não é uma total ideia de ficção, pode acontecer a qualquer momento onde vivo (dentro do meu carro há um kit de sobrevivência para cerca de cinco dias. E há outro dentro do meu apartamento, hábito normal de todo californiano).

    O abismo em cada olhar, esse aí, acho que é pior que a cidade em escombros. Dói mais.

    Obrigada, Franck! Obrigada por me provar que este mundo não é assim tão ordinário.

    Já é madrugada aí, então... Boa madrugada para ti!

    Suzana

    ResponderExcluir
  6. Um suspiro de sentimento em meio a guerra dos nossos dias.

    ResponderExcluir
  7. #CheckPoint @Sidney_Vilao: Apesar disso, aquilo, as pessoas não enxergam que o AMOR, superar tudo é controi um novo mundo.
    Apesar de toda a barbarie vista diariamente, o AMOR está entre nós é vai mudar muita coisa ainda.
    Não me dêem desculpas de não saberem o que é o amor. Está no seu espelho. Olhe agora!

    Vilão do Romance
    http://vilaodeumromance.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Felizes aqueles que conseguem passar por cima de tudo isso! parabens.. rs =)

    ResponderExcluir
  9. O bom mesmo é conseguir no meio de toda a desgraça e maldade encontrar esse estado sólido, tenho tentando construí-lo em casa e com boas companhias!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  10. É, amor e paixão .. SÃO OS ESTADOS QUE NOS IMUNIZAM, NÃO É MESMO!? ... no meio desses canhões de guerra e granadas! :)

    ResponderExcluir
  11. vi gente "não vendo" gente....e isso, pra mim, é ainda pior.

    ResponderExcluir
  12. eh isso que agente tem q enfrenta e encontra adorei bjs

    ResponderExcluir
  13. Que lindo Franck,gostei muito do poema.
    É só o q a gente vê neh,mas temos q enfrentar firme e forte a vida.
    :*

    ResponderExcluir
  14. Oi,

    O meu e-mail é o que consta na página do meu perfil:

    suzanacostaguimaraes@gmail.com

    Estou aqui para escrever um texto, depois vou ficar off, mas retorno na segunda-feira, preciso descansar. Dormi apenas uma hora de ontem para hoje. Quanto ao me ausentar, começou com total sinceridade naquela noite em que postei o bilhete na porta da geladeira. Voltei por você, principalmente, que tanto me chamou de volta, e por outros amigos, mas a vontade permanece. Preciso desligar, aqui é verão, é melhor eu ir para a praia (apesar de que ficamos no cinza por mais de uma semana), andar nas ruas, nos parques. Férias escolares aqui! A minha cidade é tão linda e eu perdendo-me de mim mesma... enquanto ela, a minha cidade, eu ainda nem descobri direito. Falando nisso, vou descrever, dia destes, ela pra você. Quero morrer por aqui mesmo, de tanto que a amo, eu nunca tive uma cidade... morei em várias... e BH nunca foi o meu berço. Bom, não se preocupe. Minha mãe sempre diz que a lua não é minguante o tempo todo... eu apenas estou nela. Mas vai ficar cheia, nova... eu sei. "Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino." (Coríntios)
    Vou dar um tempo para deixar as coisas da menina de lado.
    Na segunda, eu volto. Deixo duas publicações e vou pro pé para amadurecer.
    Um abraço, com carinho, Franck!
    P.S.: responderei a seus e-mails. I'm not fake, I'm real.

    Suzana/Lily

    ResponderExcluir
  15. Coisa linda isso... estar num estado sólido de amor e paixão. Isso é tudo!
    Bjão e uma sexta super iluminada.

    ResponderExcluir
  16. Franck!
    Qdo vc quiser...
    I'm ready!

    POEMA, CHICLETE E...DRINK!
    (rsrs)

    bj

    ResponderExcluir
  17. Vim mascar uns chicletes de uva e ler esses poemas maravilhosos...............quanto bondade, quantos sentimentos bons em um só lugar.....Gosto de estar aqui sempre....beijos poeta!

    ResponderExcluir
  18. Bravíssimo meu querido Frank, você atravessou um estado que perde o homem para alcançar um que enaltece o homem, lindo versos e lindo processo.

    achei esse esplêndido

    Postei ele no meu Orkut

    ResponderExcluir
  19. Uauuuu, arrasou, parabéns, belíssimo poema. Abraços.

    ResponderExcluir
  20. É isso que me faz acreditar em pessoas melhores, pessoas que crescem, que em meio ao caus vê a oportunidade de fazer a diferença, e voar á cima da multidão.

    Blogbeijoooos Franck...kkkk!

    ResponderExcluir

(Quem dá a volta ao zodíaco comigo...)

Previsões dadas...

EU...

Minha foto
São Luís, MA, Brazil
Um brasileiro-nordestino, um cara comum, qlq um, como diria Caetano Veloso...